20/10

A mamãe surtou, pirou, enlouqueceu!

Ma-Mãe, Sou Ma-Mãe - Por Carina Hatano Czerveny

Feriado prolongado em casa e ainda com o pequeno sendo diagnosticado com urticária, que belo começo de feriado, não é mesmo?!

Mamãe exausta desde o começo da semana, com o trabalho a mil, noites anteriores sem dormir direito, dores de cabeça diárias e intermitentes, de cansaço, eu diria. O pequeno fazendo muita birra, muito chororô e querendo ficar só com a mamãe – filho, vai um pouco com o papai (mamãããe!) e num dia desses, ele ainda disse ao marido: não é a mamãe! (Me remeti para a minha infância nesse momento, p/ a família dinossauro! Como pode um dia desses eu ser telespectadora de um desenho enquanto criança e hoje meu filho reproduzir a fala do baby?!)

Voltando. Numa bela noite de domingo, enquanto a mamãe passava a roupa do pequeno e olhava a casa bagunçada e ele chorando, gritando, querendo só a mamãe. A mamãe… SURTA, PIRA, ENLOUQUECE. E surta bem surtado, coitado do filho, coitado do marido, todo mundo levou e o mundo da mamãe desabou.

https://www.eueleeascriancas.com.br/2016/07/a-mae-esta-surtada.html

Quem ficou de chororô, junto com ele, inclusive, fui eu. Como pude? O que eu fiz? No que eu estava pensando? Como sou ingrata, péssima mãe, péssima esposa, péssima tudo. E naquele momento eu só conseguia pensar nos momentos terríveis que já tínhamos passado numa UTI e como eu estava sendo ingrata.

Mas então eu não poderia ter e exteriorizar sentimento negativo algum referente à maternidade? Porque a maternidade sempre é algo lindo, colorido e cheio de unicórnios? Nããão, não posso!! Quanta ambivalência, meu Deus! Sou péssima mesmo!

E no meio a tantos pensamentos desorganizados, dignos de que só EU estava passando por isso e o quão terrível EU era, encontrei a fanpage da Vegana é a sua mãe e fui lendo suas publicações até que encontrei um texto dela falando sobre a sua energia ter se esgotado e ter chegado ao limite. OPA! Os olhos da japa se arregalaram, me ajeitei na cama e fui lendo, lendo e me sentindo uma pessoa menos pior e percebi que talvez, eu não era aquela ET, insensível, desumana. (Talvez sim pelo meu estresse e minha atitude de explosão, mas não pelo meu sentimento). Mandei uma mensagem pra Júlia, agradecendo, na verdade, e a partir daquela noite, as coisas foram mudando e se endireitando.

No dia seguinte, tivemos uma roda de conversa sobre o terrible two (futuro post), com a psicóloga e pediatra da escola do Murilo, na qual pude me recompor de vez, organizar os pensamentos e emoções, me conscientizar de determinadas coisas e me desvincular dessa maternidade perfeita, em que a mãe não pode errar e muito menos ter sentimentos ruins em relação a ela.

E não é porque eu senti (e poderei sentir várias outras vezes) essa coisa medonha, que isso signifique que eu não ame meu filho ou não esteja feliz com ele. Muito pelo contrário, ele é a parte mais linda da minha história, das nossas histórias.

Por isso eu digo, sou mãe, ou melhor, mamãe. Psicóloga, mas sou, acima de tudo, humanamente tão “perfeita” a ponto de saber e informar que erro a todo o momento, na tentativa de acertar um pouco.

Bem-vinda ao mundo real, mamãe!

19/10

Resenha – Uma pergunta por dia (para mães)

Dicas & Resenhas, Para a Mamãe Borogodó - Por Carina Hatano Czerveny

Olá, minhas doces arteiRas! Tudo bem?

A resenha de hoje é sobre um livro que encontrei por acaso na Internet, comprei e estou amando. Ele é ideal para você registrar cada acontecimento do seu filho, respondendo uma pergunta diferente a cada dia.

Descrição:

“Funciona assim: são 365 perguntas diferentes, uma para cada dia do ano. Você começa qualquer dia e, percorridos doze meses, volta para o início. E é aí que reside o ponto alto do diário, porque cada novo ano é um convite a rever as respostas anteriores, revisitar as mais diversas lembranças e refletir sobre como tudo já mudou e se transformou. “Uma pergunta por dia para mães” pode ser preenchido tanto por quem já é mãe quanto por quem está se preparando para a chegada do bebê. Em edição luxuosa, com capa dura, interior em duas cores, fitilho marcador de página e pintura prateada nas laterais, esse diário vai guardar para sempre as surpresas, sentimentos, sonhos e planos dos anos mais memoráveis da mulher e seus filhos”.

Opinião da mamãe arteiRa:

O livro é lindo, pequeno (cabe dentro da bolsa, embora seja gordinho) e o melhor de tudo, é uma ótima oportunidade para não perdermos detalhe algum do desenvolvimento, das fases, de algum acontecimento.
Super indico!

Onde encontrar:

Nas livrarias da sua cidade ou sites na Internet. O preço médio dele é R$36,83.

Gente, vale muito a pena! Além de ser uma ótima recordação pra vida toda!!
Beijinhos e até a próxima

18/10

Torta fácil – Low carb

Arteria na Cozinha - Por Carina Hatano Czerveny

Hello, queridas arteiRas!

Vamos para mais uma receita deliciosa, rápida, fácil demais e ainda por cima, fitness?
Quem me passou essa maravilha foi a mamãe do amigo do Murilo. Lis, muito obrigada!

Vamos lá!

Ingredientes:

– 1 abobrinha picada
– 1 cebola picada (coloquei meia)
– 3 ovos
– 1/4 xícara de farinha de trigo (substitui por farelo de aveia)
– 1 colher de chá de fermento em pó
– Queijo ralado ou queijo minas ou ricota
– Linguiça ou presunto ou peito de peru
– Sal (a gosto)
– Pimenta (a gosto)
– Azeite de oliva (a gosto)

arteiRas no preparo:

Gente, é muito simples: basta misturar todos os ingredientes, colocar numa forma untada e levar ao forno pré-aquecido, a 200 graus, por 30 minutos aproximadamente.

OBS: como a massa não rende muito, colocar numa forma menor. Eu usei a de bolo inglês.

Dica da mamãe arteiRa:

Sempre deixo o fermento por último e vou o incorporando a massa, delicadamente, pois o movimento rápido e brusco de mexer a massa pode fazer com que o fermento não tenha o seu efeito desejado.

Aproveitem a receita e depois me contem o que acharam!
Beijinhos