15/04

Por mais compreensão e menos julgamentos!

Ma-Mãe, Sou Ma-Mãe - Por Carina Hatano Czerveny

Tive meu filho com 38 semanas e meia, parto planejado (leia-se Cesariana) e talvez esse tenha sido o meu primeiro erro da maternidade ideal descrita por aí.

A minha tão aguardada amamentação, na verdade foi bem frustrante e me desestruturou emocionalmente, durando somente até o terceiro mês de vida do pequeno. A almofada de amamentação, item listado como um dos mais importantes do enxoval, foi deixada de lado. Entraram em cena: a mamadeira e a fórmula, tão discriminadas, coitadas, mas foram elas que nos deram força e fizeram com que o meu filho crescesse, ganhando peso a cada dia e ficando cada vez mais saudável, feliz e tranquilo. (Mas, como pode isso?)

A chupeta, objeto cheio de preconceito (inclusive meu, antes da maternidade) deu espaço ao conforto e acalento que ele precisava naqueles 35 dias dentro de uma UTI. Aliás, continua dando o conforto a ele e não penso em tirá-la tão logo. (E o dente dele, como vai ficar?)

Fonte: http://www.freepik.com/

Dormir no seu quarto planejado e decorado, dentro do berço, o qual demorei 7 meses para escolher, serviu até chegar o primeiro inverno. Levar ele para a nossa cama, dormir entre nós, erro fatal! (Cadê a independência dele? Que coisa feia, mamãe!)

Optar, depois de 10 meses em casa, por voltar a trabalhar, ter de deixá-lo cedo na escola e buscar no final do dia. Não abdicar da minha profissão, do meu trabalho em prol da maternidade em tempo integral, (que tipo de mãe é você?!)

Permitir que ele assista Galinha Pintadinha, Bob Zoom, Peppa Pig, dentre outros. Deixar ele ter contato com eletrônicos, mexer no celular, ao invés de ficar somente nas leituras e atividades super estimulantes. (O que você está fazendo com ele? Quer que ele cresça cheio de vícios?)

Por aqui, não comemos só alimentos orgânicos, frescos e muito menos colhidos na hora (como não?). E, embora ele ainda não tenha comido doces, já dei sim, batata frita e pizza. E quer saber? Nós amamos! (Você pirou de vez, só pode!)

Minhas queridas arteiRas, tão difícil esse negócio de ser mãe, não?! Ao mesmo tempo que é a melhor coisa da nossa vida é também muito cruel! Digo que, nesta minha pequena experiência, pra mim, a maternidade ideal é aquela que eu julgo ser a ideal, é aquela que cada uma tem um jeito diferente de resolver uma mesma situação, é algo subjetivo.

Portanto, minha gente, vamos nos conscientizar e pedir por mais compreensão e menos julgamentos! Afinal de contas, ser mãe é: ter o seu jeito de exercer esse papel!

21/03

4 Dicas criativas de presentes para dar no 18º aniversário do seu filho

Estou Grávida, Ma-Mãe - Por Carina Hatano Czerveny

Quando o bebê está a caminho, pensamos num monte de possibilidades para tornar este momento ainda mais especial: sessões de fotos de todos os jeitos, os chás – de revelação, de bebê, fralda e afins; lembrancinhas e personalizados, enfim, todos os preparativos até a grande e esperada chegada do nosso bem mais precioso.

Além de tudo isso, o doce arteRia criativa, com a ajuda 100% do marido, dá a vocês, 4 dicas criativas para fazerem quando o bebê nascer (e posteriormente também), as quais poderão ser entregues ao (à) filho (a) quando eles fizerem 18 anos.

Fonte: https://br.pinterest.com/pin/308426274467221830/

1. Colocar dentro de uma mochila, objetos significativos referentes ao dia, mês ou ano do nascimento do bebê. Ex: jornal do dia, revistas, embalagens, etc. No nosso caso, o marido utilizou uma mochila que ele gosta muito e colocou algumas revistas “Veja”, pois era um assunto que todos esperavam na época, o impeachment da Dilma; comprou a camiseta do time de futebol da cidade que foi campeão na ocasião; lata de coca cola do ano; lata de coca com o nome dele (estava na moda né?) o livro Guinness; lembrancinhas do chá de fralda, batizado e aniversário de 1 ano, etc.
A mochila será entregue ao Murilo quando ele fizer 18 anos.

2. Comprar um caderno e pedir para familiares e amigos deixarem um recado para seu/sua filho (a) e entregar o caderno quando ele (a) fizer 18 anos.
Compramos um caderno e pedimos para alguns amigos, familiares e as primeiras professoras do Murilo para deixarem um recado p/ ele. Gente, é emocionante, vale super a pena fazer!

3. Outra opção para deixar recados para ele/ela é vocês escreverem uma carta em cada aniversário até o 18º aniversáio e colocar dentro daquela mochila.

4. Guardar a sua pulseira do hospital, a pulseirinha do bebê, as luvinhas, meias, o gorrinho, a primeira foto registrada (aquela clássica, com a mamãe e o bebê ainda na sala de parto) e outros objetos que foram significativos e colocar numa moldura. Esta ideia já existe por aí há algum tempo, mas ainda continua super IN e lindo.

Mamães, vocês fizeram algo diferente? Compartilhem as suas ideias!
Beijinhos

21/03

10 Sinais de que está na hora de ter um bebê

Ma-Mãe, Quase Mamãe - Por Carina Hatano Czerveny

Queridas arteiRas,

É tão difícil nós sabermos qual é o momento de ter nosso bebê, não é mesmo? Eu mesma, quis me estabilizar profissionalmente, estudar, fazer cursos, viajar, aproveitar o máximo da vida e o tempo foi passando. Se formos esperar o momento certo, na verdade, não sei se ele existe, pois acredito que sempre estaremos em busca de algo para fazer. Mas, no nosso caso, alguns sinais foram aparecendo e quero compartilhá-los com vocês.

Fontes:https://br.pinterest.com/pin/308426274467221922/
https://br.pinterest.com/pin/308426274467221915/

1. Vocês já aproveitaram para viajar, passear e curtir a vida;
2. Vocês se amam, mas parece que está falando alguma coisa;
3. Já compraram um cachorro ou gato;
4. Você já não liga mais se esqueceu de tomar uma pílula da cartela do anticoncepcional;
5. Quando você vê a sua amiga com o (a) filho (a) fica se imaginando nesta situação e adora a sensação;
6. Fica imaginando onde será o quarto do bebê na sua casa e até ousa em pensar na decoração;
7. Pensa em quem será sua (seu) obstetra e no pediatra também;
8. Fica imaginando se será menino ou menina e logo em seguida já pensa, se vier com saúde é o que importa;
9. Vocês sonham com esse momento juntos;
10. Quando o marido te fala que vai jogar o anticoncepcional pela janela se você não parar.

E vocês, já vivenciaram ou estão vivenciando isso? Contem suas experiências!
Beijinhos