07/12

Produtos para cabelo – os melhores que já usei na minha vida!

Dicas & Resenhas, Para a Mamãe Borogodó - Por Carina Hatano Czerveny

Olá, minhas arteiRas queridas. Tudo bem?

O post de hoje é uma resenha de uma linha maravilhosa para os nossos cabelos que descobri recentemente e totalmente-sem-querer – a Lola Cosmetics. Eis que a mamãe estava na farmácia comprando uma pomada, quando olha para o lado, um pote laranja, com tampinha pink. Mais que ligeiro, agarra aquele pote na mão, abre aquela tampinha linda e dá um cheirão. Gente, para tudo com aquele cheiro maravilhoso, docinho e do jeito que a mamãe ama!!!

Não sabia o que era aquele produto, se hidratante, shampoo, condicionador, só sabia que eu queria muito. (Que o marido não leia esse post consumista). A empolgação foi aumentando quando comecei a ler a proposta da marca, o marketing despojado e estampado na minha cara, aquela embalagem linda, pin-up, queria todos os produtos.

Acho que as balconistas perceberam a tamanha empolgação da pessoa (rs), mas respirei fundo e me perguntei: Eu preciso disso? E se não for bom? E se me der uma coceira lascada? (alguns shampoos fazem isso comigo). Tudo bem, não preciso levar todos, mas que eu vou embora com um deles, ah, isso eu vou. E fui, minhas arteiRas. Fui com o shampoo, feliz da vida e quase esqueci da minha pomada!

Então vamos à resenha.

A proposta da marca

A Lola Cosmetics é uma marca carioca de produtos voltados para os cuidados com os nossos cabelos, valorizando a particularidade de cada tipo de madeixa. Traz nos seus produtos, uma proposta despojada e inovadora, repleta de humor e carisma, assim como é a mulher brasileira.

Os produtos são feitos para o uso diário, não tem sal e…tan tan tan tan… o que falar sobre a empresa ser vegana?! (Gente, muitos corações subindo nesse momento) e não testar e não aprovar os testes em animais, fala sério né?! Demais!

A marca tem uma infinidade de produtos que você pode conferir no site.

Opinião da mamãe arteiRa

O que falar? Por onde começar? Já perceberam que eu estou muito apaixonada pela marca né?!

Vamos começar pela embalagem que foi a primeira coisa que me chamou atenção. Simplesmente linda, com cores vibrantes, que nos chama atenção. Um estilo muito descontraído e pin-up de ser, mega aprovada!

Os últimos produtos sem sal que experimentei, apesar de ter o conhecimento sobre isso, não faziam espuma, minha gente. Eu preciso de espuma, espuma é limpeza, espuma é vida! E esse shampoo faz espuma, menos que um shampoo convencional, mas faz, ponto super positivo.

O cheiro é algo divino, eu que amo cheiro mais docinho, não preciso dizer mais nada né?

A qualidade do produto é algo indiscutível, pelo menos no meu cabelo, os produtos ficaram maravilhosos, do jeito que eu amo e sempre procurei num produto. Sabe quando você passa o dia todo na correria e não consegue sequer pentear o cabelo? E quando vai lavar, você passa o shampoo e vira aquela maçaroca? Que só com o condicionador resolve e olha lá? Pois bem, coincidentemente, o dia que eu comprei o produto estava sendo utra mega blaster corrido e eu não tinha conseguido parar 1s para pentear o cabelo. Quando eu passei o shampoo, minha nossa, o que era aquilo? Parecia que eu já estava passando o condicionador? Parei, peguei a embalagem e vi se eu tinha comprado shampoo mesmo. Inacreditável.

E o depois, Carina? Depois eu sequei meu cabelo normalmente e ele estava cheiroso, soltinho, liso. Ah, per-fei-to! Eu queria correr na farmácia e comprar o condicionador. Mas, com essa vida materna nossa, nada é tão fácil assim né?! Dias depois, acabei indo numa outra farmácia e não encontrei o condicionador. Da linha, só tinha produtos para cabelos cacheados e um potinho para hidratação que eu tinha gostado, mas dizia na embalagem que era para cabelos secos.

Como a raíz do meu cabelo é oleosa, fiquei na dúvida e a princípio não iria levar. Quando eu estava no caixa, prontinha para pagar, voltei na prateleira e peguei. Resolvi arriscar e não via a hora de testar. Testei, testei e…amei!!!! Não ficou oleoso e usando como o complemento do shampoo, meu cabelo estava dos Deuses.

O preço não é algo tããão atrativo, em comparação o que a gente vê nos mercados né? Paguei no shampoo R$26,00 na Panvel e R$32,00 no hidrante, na farmácia Droga Raia, mas vale cada centavo.

Ai gente, sério! Não é publipost, embora eu faria milhões de publicidades para eles. Mas com certeza, foram os dois melhores produtos que já usei nesses meus trinta e três anos de vida. Comprem, usem, divulguem.

Nós mamães, e quem não é mamãe também, não temos muito tempo a perder no banho, desembaraçar os cabelos ou até mesmo ficar cuidando dos cachos, por isso, essa linha de produtos tem muito a contribuir para essa nossa vida louca que levamos.

Queridas arteiRas, se vocês já estiverem usando esses produtos, deixem um comentário contando o preferido de vocês. Se ainda não usaram, corram e me contem a experiência.

Beijinhos e até a próxima.

05/12

Lista de enxoval prática e enxuta & Itens desnecessários

Outros - Por Carina Hatano Czerveny

Olá, minhas mamães arteiRas. Tudo bem?

O post de hoje é utilidade pública: um doce download de uma lista de enxoval básico e enxuto de tudo o que você e seu bebê precisa – do nascimento até o primeiro ano de vida.

Quando eu estava grávida, mamãe de primeira viagem, fiquei perdida com a quantidade de listas de enxovais que encontrei na Internet e com aquelas que ganhava nas lojas também. Eram tantos itens (a maioria eu nem sabia o que era e para que servia) que eu ficava pensando se realmente precisava comprar tudo aquilo. Foi aí que juntei todas as listas, vi o que elas tinham em comum, aproveitei as dicas das amigas e resolvi fazer a minha.

Tudo bem que não foram todas as coisas que usei, mas eu acertei na maioria delas. Hoje, eu revi aquela lista e refiz uma novinha para vocês. Clique AQUI para fazer o download.

Como já coloquei na lista o que eu acredito que seja necessário, vou aproveitar o post para falar ainda sobre alguns itens dispensáveis, porém utilizáveis e sobre aqueles que são totalmente desnecessários. Vamos?

Itens dispensáveis, porém utilizáveis

* Saída maternidade: não é um item necessário, é mais para a mamãe que queira vestir o seu bebê com uma roupa mais elegante, para as fotos, por exemplo. Mas é claro que o baby pode sair com qualquer roupa, é você quem manda.

* Redutor de berço: é uma peça para colocar dentro do berço e acomodar o bebê, passando para ele a sensação de segurança, de aconchego, de não estar “largado” num berço tão grande.

* Tapete: o tapete também não é um item necessário, mesmo porquê, alguns bebês desenvolvem alergia, porém, é um acessório que deixa o ambiente mais quentinho e acolhedor.

* Luminária: ela ajuda quando queremos dar uma espiadinha no bebê durante a madrugada, ao amamentar, numa troca de fralda, somente para não precisar acender a luz e incomodar o baby e para não ficar na escuridão total. Lógico que cada uma tem uma estratégia, talvez acender outra luz se preferir, mas uma luminária é bem utilizável.

* Babá eletrônica: eu não comprei, por resistência do marido. Passamos bem sem uma babá eletrônica, porém ao mesmo tempo, penso que seja útil caso queira adquirir, especialmente para as mamães se sentirem mais seguras e tranquilas, com a possibilidade de monitorar o bebê a hora que desejar, sem a necessidade de sair do quarto.

* Lixeira para fralda suja: não é que seja necessária uma lixeira somente para as fraldas sujas, mas se tiver, é mais prático.

* Espelho retrovisor p/ carro: nos primeiros meses de vida deles, os passeios de carro ou são milagrosos ou desastrosos. No nosso caso, eram desastrosos. Murilo chorava muito, principalmente quando o carro estava parado. Se você está sozinha, o momento fica ainda mais tenso, porque não consegue enxergar o que está acontecendo, como ele está. Por isso, o espelho retrovisor p/ carro é uma boa pedida, mas é dispensável também.

* Roupão p/ a mamãe: não é um item necessário, mas eu usei ainda no hospital. Normalmente a equipe pede para nós levantarmos e caminharmos, pelo menos foi assim após a minha cesariana, e as vezes não queremos sair pelo corredor do hospital só de camisola/pijama, aí é que entra o roupão.

* Bombinha para retirar o leite: para a mamãe que amamenta e queira facilidade na hora de tirar o leite para armazenar ou doar, a bombinha pode ajudar e muito, ainda mais se for elétrica. Óbvio que não é um item primordial no enxoval, dá até para esperar o bebê nascer e ver como ficará a amamentação, mas auxilia.

* Mamadeira & Chupeta: bom, minha arteiRas, aqui é um dilema. Não era bem aqui que elas se enquadram, mas… Algumas mamães pensam que esses dois itens não farão parte do enxoval do bebê, porque pretendem não oferecer esses acessórios, eu pensei dessa forma e me lasquei. Não custa ter uma opção de cada, digo, custar custa, mas e se precisar de madrugada? uma emergência emocional? Pense nessas hipóteses, abra a mente.

Caso o bebê seja adepto a mamadeira, por inúmeros motivos, aí sim, a necessidade de comprar a escova para lavar, o esterelizador e o porta leite em pó. Caso contrário, itens dispensados.

Itens desnecessários, não comprem!!

* Poltrona de amamentação: absolutamente desnecessária. Eu comprei uma poltrona, que não era de amamentação, mas me arrependi muito, pois foi inútil.

Quando estamos grávidas, ainda mais do primeiro filho, ficamos imaginando o momento lindo da amamentação, o quão importante é ter um espaço só para isso, mas, gente, tem momentos que você está tão cansada que a amamentação acontece onde der, leia-se: sofá, cama, deitada, de qualquer forma. Não há necessidade de comprar uma poltrona só para isso, além do preço ser abusivo. Diferente da almofada de amamentação, essa sim, eu recomendo muito, porque ela vai para onde você for, conforta o bebê e conforta os seus braços também, invista nela!

* Kit berço: a Sociedade Brasileira e Americana de Pediatria não recomendam o uso do kit berço, pois há risco de sufocamento. Na verdade, a utilidade dele é para o bebê não ficar com o braço/perna presa entre as grades, mas geralmente, as mamães também colocam para deixar o berço mais bonito e personalizado. Que tal deixarmos a estética de lado e pensarmos na segurança do nosso bebê? Mas e aí, se o kit berço não pode, o que devo colocar? Existe uma tela protetora para berço que faz bem a função, neste site aqui.

Eu comprei e coloquei o kit berço para o Murilo, graças a Deus não aconteceu nada de ruim, mas foi um dinheiro mal gasto, porque além de ter pago horrores por ele, está ocupando um mega espaço no armário. Mal investimento. Não comprem.

* Muitos brinquedos: até 1 ano de idade, eles não brincam muito com brinquedos, na verdade, vocês vão perceber que por mais lindo e caro seja aquele brinquedo que tenham comprado, o que eles vão gostar mesmo é dos seus potes, do controle da tv, das garrafas pet, das latas de leite, essas coisas. Por isso, não se empolguem, minhas arteiRas.

* Mala maternidade: o comércio dos babies e das mamães (assim como das noivas) estão aí para nos atentar, minha gente, mas não caiam nessa. A mala maternidade é mais um item totalmente dispensável, levem uma mala que vocês já tenham em casa e está tudo certo. Eu comprei a mala maternidade, a bolsa do bebê, a necessaire, o porta mamadeira e pra que tudo isso, minhas arteiRas?! Vamos economizar!

* Aquecedor de mamadeiras: não é que não seja bom, o problema é acostumar o bebê com o mama sempre quentinho, imagina a correria de madrugada? num passeio? ter que aquecer a mamadeira todas as vezes? Nós acostumamos o Murilo a tomar o leite em temperatura ambiente e foi uma maravilha!

É isso aí, minhas queridas arteiRas. Espero ter ajudado um pouco e qualquer dúvida, sobre algum item que coloquei na lista, é só deixar um comentário.

Beijinhos e até a próxima!

28/11

Fase dos 2 anos: Terrible two or Amazing two?

Ma-Mãe, Sou Ma-Mãe - Por Carina Hatano Czerveny

Olá, minhas queridas arteiRas. Tudo bem?

Quem aí já ouviu falar da adolescência do bebê? Os terríveis 2 anos? Terrible Two? Eu ouvia algumas amigas comentando sobre a mudança de comportamento dos filhos após terem completado os dois anos de idade e ficava tentando imaginar como isso era possível, se era exagero delas ou o que?!

Mas, afinal, o que é o Terrible Two?

É a fase onde tudo acontece e mais um pouco, fase em que as mamães e papais piram a cabeça e aquele bebê, que era tão quietinho, fofo e querido, resolve se mostrar o oposto. Choros frequentes, as vezes sem motivo aparente, gritos e “não” muitos “não´s”. Eles se jogam no chão, esperneiam, batem, enfim, apresentam comportamentos que os pais não gostam muito.

Faz parte do desenvolvimento. Antes, eles seguiam tudo o que os pais faziam e agora, estão se tornando independentes, estão descobrindo que eles são pessoas a parte da mamãe e do papai e, com isso, começam a florescer suas vontades e seus próprios desejos. Mas, eles ainda não sabem como administrar tantos sentimentos, pela própria falta de maturidade, totalmente compreensível, não?!

Essa fase pode começar com 1 ano e meio de idade e pode permanecer até o terceiro ano de vida. Alguns bebês demonstram com mais intensidade as suas emoções e outros, um pouco menos. Mas afinal de contas, cada ser humano é diferente (graças a Deus).

A nossa fase dos 2 anos

Quando o Murilo começou a demonstrar que estava nessa fase, um pouco antes dos dois anos, eu me vi extretamente impaciente, esgotada e amedrontada, com um certo “trauma” de todas as vezes que ele começava a chorar, porque eu não estava sabendo lidar com a situação, o que fazer, como agir, estava um caos. Além de tudo isso, eu ainda tinha receio que ele demorasse horrores para parar de chorar, principalmente quando não estávamos em casa.

Um belo dia, numa roda de conversa que a escola dele promoveu, junto com a psicóloga, pediatra e as outras mamães, tudo mudou. Digo para todos que foi a melhor roda de conversa da vida, porque nela, pude perceber diversas atitudes e anseios meus e pude parar (parar, minha gente, precisamos parar!) para refletir como EU estava, como estava o MEU emocional e de que forma tudo isso estava influenciando nessa fase dos 2 anos dele.

Eu vi a luz, sai da roda renovada, como se eu tivesse recuperado todos os dias de sono desde o nascimento dele, foi como se eu tivesse tomado o banho mais demorado e delicioso de todos os tempos, foi como se eu tivesse feito a melhor refeição do mundo. RE-NO-VA-DA e pronta para recomeçar.

Foi nesse momento que eu percebi o quão é injusta a nomeclatura de “terrible two”, na verdade, penso, que deveria ser:

Amazing Two, incrível 2 anos

Incrível porque já passamos por tantos perrengues até chegar aqui e graças a Deus estamos passando por essa fase.

O nosso bebê está crescendo, está criando autonomia, interage com a gente lindamente. Nos derretemos com cada palavra, aprendizado, energia, amor expresso, tanto carinho em forma de gente. Um ser humano que não tem maldade alguma, não espera nada além do nosso cuidado e amor. É incrível como eles se relacionam com as outras crianças, a tom da voz falando “mamãe”, pedindo por colo e atenção.

Sim, eles se comportam, em algumas ocasiões, de forma que não era o nosso esperado, mas o que a gente espera? Não estamos esperando demais, na verdade? Esperamos que eles se comportem como adultos? Oi? Seria incrível se esperássemos o tempo deles, o desenvolvimento deles, sem apressarmos as etapas.

Eles não são os vilões da história, eles estão confusos com tantas coisas para administrar, quem são os vilões, em muitos casos, somos nós!

Mas espera aí, é fácil assim? Não, não é nada fácil, especialmente nos dias em que estamos super atarefadas ou sem paciência alguma, mas isso é só mais um aspecto que faz parte dessa nossa jornada materna, certo?!

Dicas da mamãe arteiRa

Cada bebê age de forma diferente a estímulos iguais, inclusive, aqui em casa, não é sempre a mesma tática que ameniza a situação. Mas vamos lá:

* Não grite e não bata;
* Agarre a paciência e nunca mais solte dela;
* No momento da crise, abrace seu filho. Isso resolve muito aqui em casa;
* Agache na altura dos olhos dele (a) e converse com ele (a) depois da crise ter passado;
* Demonstre empatia e sensibilidade;
* Dê um tempo p/ ele (a), mas esteja sempre por perto, nada de ignorar;
* Autoritarismo nessa hora, só piora a situação;
* Não faça chantagem;
* Incentive o diálogo, sempre;
* Nomeie os sentimentos;
* Dê explicações claras e curtas;
* Lembra-se: o adulto da história é você.

Antes de mais nada, minhas mamães, vamos parar um pouco e analisar alguns aspectos: Como está a minha vida? Estou muito cansada e preciso de uma pausa? Há quem possa me ajudar, mesmo que seja para conversar? Com relação a fase dos 2 anos, como estou administrando esse momento? De forma tranquila como a fase pede? Ou estou supervalorizando ela?

Queridas arteiRas, quando estamos bem, tudo ao nosso redor tende a ficar mais leve e, estar bem, não necessariamente significa que você precisa estar 100% em todos os aspectos da sua vida, mas as vezes, precisamos apertar o botão “reset”, como o marido diz, e praticar os três R´s: refletir, reorganizar e recomeçar!

Seu filho é único, seu, exclusivo. Ninguém melhor que você para saber o que ele precisa, se está cansado, com fome, sono ou se não está conseguindo lidar com seus sentimentos naquele momento de tensão. Não há receita pronta, há diálogo, afeto, respeito e muito amor.

Dê colo, abrace e converse.